Irmão que sofre

Imprimir

IRMÃO QUE SOFRE

Não chores as lágrimas do desespero.

Não permitas que as garras da revolta dilacerem as fibras de teu coração.

No mundo tereis tribulações, asseverou-te o Mestre preparando-te para os embates necessários da vida.

A semente lançada ao solo deve sofrer as algures do frio e da solidão, renunciando a alegria da luz, para germinar na árvore frondosa no amanhã. Para que teu espírito exaure a maldade acumulada em séculos de desatinos, deve ser burilado por lágrimas e dores.

Chora, mas chora a lágrima da esperança, na certeza de que a aflição vivida hoje é morte para tua alma, mas também fonte germinadora de belas florações do espírito no amanhã radiante.

A noite cobre de vazio e gelo a abóbada de céu. O frio enrijece a alma sedenta de luz. Recorda, no entanto, irmão, que após cada noite escura e gélida, nasce o sol fecundando de brilho a vida e o teu coração.

Chora, mas chora a lágrima da renúncia, renúncia aos teus próprios caprichos, na doce entrega aos desígnios do Pai. Deixa-te conduzir pelas suaves mãos do Senhor, que hoje te faz caminhar por espinhos. Além da estrada dolorosa se descortina um campo de paz. Ali as flores vicejam e os pássaros cantam. Aí tua alma encontrará, enfim, o repouso.

Não dê guarida às teias do infortúnio e não sustentes na alma as garras ferinas da culpa infundada que te dilaceram o coração.

Recorda Jesus na tempestade, acalmando as forças intrépidas da natureza e acredita, irmão, que nos momentos de tormento íntimo, o Senhor está ao leme do barco de teu destino, acalmando as potências de teu interior em torvelinho. Basta que suplique: Senhor! Senhor! E confia.

A jornada terrena é mesmo de dores e amarguras, mas confia, pois dias melhores te aguardam na esteira da vida. O vale de sombras é como um cisco na longa estrada do tempo.

Recorda que o Senhor te fez para a alegria e herdeiro da ventura eterna. A sombra de um dia sem luz não pode apagar o brilho do sol. Tua alma é feita de luz e o tormento de um dia de dor não pode aniquilar-te o esplendor do espírito.

Alija de ti todo o desespero e entoa aos céus um hino de gratidão por serdes filho do Altíssimo.

Os mensageiros do céu estão ao teu lado. Chora a lágrima do consolo e deita tua cabeça cansada no ombro Daquele que te afaga a alma dolorida e te convida à paz do espírito.

Paz sempre

Um amigo

 

Belo Horizonte, 28 de março de 1983

Médium: Gilson Freire

Grupo da Fraternidade Espírita Irmão Vítor

Thursday the 19th. . Custom text here