Duas Saudades

Imprimir

 

De alguns anos até aqui, tenho participado de eventos tais como “Chá Beneficente do...” ou “Reunião Festiva dos 30 ou 50 anos de fundação de...”. E esses acontecimentos são sempre guarnecidos com bufês chiques, com as mais variadas guloseimas, doces e salgadas, refrigerantes e o tradicional chá. Não pode faltar o cantor com o microfone em punho berrando (ele não canta) uma canção, acompanhado de duas ou três guitarras elétricas. Tudo num som altíssimo que treme os vidros das janelas. Não se entende sequer uma palavra da canção berrada. Os participantes, sentados em grupos de dois, três ou quatro, não conseguem palavrear, comentar ou botar em dia o papo amigo, aproveitando aquele encontro fortuito. O barulho é tanto que não se houve a voz do parceiro de mesa.

Muitos devem se lembrar dos cultos evangélicos ou das missas cantadas nas igrejas católicas, ou os saraus nas casas de famílias sob o som suave do violino, do piano e do contrabaixo, ou mesmo do órgão elétrico, ouvia-se nitidamente a voz do cantor ou do coral. Compreendia-se o texto da canção, palavra por palavra. No final, estávamos ciente da pretendida mensagem divina e tomados de um profundo bem-estar. Hoje, com essa estúpida aparelhagem moderna de som sem controle consciente, o bem-estar só vem quando surge uma pausa. Um alívio para nossa audição.

A outra saudade são as vovós idosas de antanho. Vamos falar enquanto existe gente que se lembra delas. Quando as mulheres se tornavam avós, parece que era moda se mostrarem velhas através dos vestidos, e no máximo o “Pó de Arroz Ladi” na maquiagem. Tornavam-se contadoras de histórias. Tinham sempre um vidrinho de iodo ou arnica para o dedinho machucado ou o galo na testa do netinho. Um aconchego de avó era um afago de anjo. Veja este retrato de minha vó materna, tinha 54 anos. Hoje, uma avó nessa idade é uma moça, à qual não damos 30 anos aparentemente. É a moda; temos de aceitar que assim seja. É bom e bonito. Mas um aconchego no colo de “vó de então”, com vestido largo, comprido, porta-seio, combinação, anágua e calcinha de perninha por baixo, era uma inesquecível meiguice almofadada.

Luiz Teixeira da Silva

Agosto de 2011

Friday the 24th.